janeiro 08, 2014

Tive um filho e dei-lhe um irmão...




Quando planeei (ámos) o segundo filho era porque queria mesmo um segundo filho. Não quisemos ter o segundo filho para fazer companhia ao primeiro, ou para que o R. não fosse um filho único mimado, ou um coitadinho a ter que gerir as responsabilidades sozinho quando eu e o pai estivéssemos, desculpem a expressão, com os pés para a cova. Não, nós quisemos mais barulho, menos tempo, menos dinheiro, mais alegrias, maiores desafios. Quisemos ter mais um processo educativo em mãos, mais carinhos e mimos para distribuir, mais ralhetes para dar. E depois, depois de tudo isto, quisemos dar um irmão ao R., para que ele soubesse de perto o que é a partilha, para que tivesse memórias da infância com um companheiro único, para que juntos planeassem traquinices, surpresas, pequenas mentiras inofensivas na adolescência. Que fossem cúmplices, amigos, irmãos. 
Depois de 10 meses e 10 dias, com ciúmes aqui e ali, e com muitos "Cuidado não o magoes! ...não o apertes! ...não lhe grites! à mistura, eis que registo este momento único de brincadeira entre eles, e espero daqui para a frente registar muitos mais!


4 comentários:

Miú Segunda disse...

Vão ser os maiores amigos, de certeza. Parabéns!

Sofia Loves disse...

I hope... :)

Rita Santos disse...

Adoro! Tal e qual as nossas gordas. E nós? precisamente o mesmo sentimento :)

Sofia Loves disse...

;)