Mostrar mensagens com a etiqueta Mensagem do dia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Mensagem do dia. Mostrar todas as mensagens

novembro 14, 2017

good things...





tenho escrito muito menos do que gostaria, muito menos do que as ideias e histórias que passeiam em mim, mas o tempo tem sido curto, e um assalto anímico na semana passada, pregou-me uma partida. 
para equilibrar, a escassez do tempo deve-se a coisas muito boas, e coisas muito boas levam o seu tempo.... é aproveitar! 



Boa semana!!

Sofia**










outubro 30, 2017

para todas nós!

Sabem aquela mãe perfeita, com a casa em ordem, um corpo impecável, a maquilhagem sempre à altura, os lanches dos filhos super saudáveis, a ementa semanal sempre organizada, com tempo para o ginásio, disposição para namorar com o marido e uma carreira de sucesso?? (És tu??)

Sabem aquela mãe que vos olha de lado quando confessam que se esqueceram que terça era dia de educação física e não meteram os calções na mochila da miúda, que na quinta deviam ter levado o vosso filho às aulas de piano e foram para o parque em vez disso, e que o sábado já passou e não puseram os pés na festa do melhor amigo dele?? (Conhecem?)

Sabem aquela mãe que diz "eu nunca" mas depois se esquece do mais importante, mostrar que realmente se importa? Mostrar que se interessa, dizer que ama, dedicar o seu tempo em exclusivo, por pouco que seja? (Sabem de alguma?)






Mães "perfeitas", mães que te criticam, mães que te compreendem... há para todos os gostos!


Bad Moms foi o filme que elegi para ver neste domingo à tarde. A comédia perfeita para nos rirmos com os diferentes dramas de todas as mães, todas nós. Eu pelo menos identifiquei-me em várias situações. O filme é de 2016, mas como só vou ao cinema ver filmes para maiores de seis (tu também??), acho que me passou ao lado. Ri muito, e rir é sempre bom! E o melhor é que em Novembro sai o Bad Moms II, que me parece ser ainda mais engraçado. 

Neste feriado, entreguem os miúdos ao pai, recostem-se no sofá com uma manta leve e riam, riam muito e quem sabe, identifiquem-se e identifiquem...! Não percam!







Boa semana!!!

Sofia**











outubro 17, 2017

não, não sou infantil!


depois de 17 de Junho deste ano, achei que o que de mais terrível podia acontecer no nosso País já tinha acontecido. fogos terríveis que desvastaram casas, empregos, famílias. 65 mortos. pior que isto era impossível. achava eu.
achei mesmo que depois destes acontecimentos de Junho, as autoridades e o governo iam começar a alterar o que já devia ter sido alterado há muitos anos, a repensar as leis, as penas e a reordenação das florestas, investir em meios e profissionalizar os bombeiros. claro que não fui ingénua ao ponto de pensar que em poucos meses tudo mudaria. não sou infantil! mas sinceramente achei que, pelo menos, a comunicação entre os maiores intervenientes da Protecção Civil, Liga Nacional de Bombeiros, Governo em geral, iria tornar-se clara, franca e sem rodeios. mas não.


ouvi as noticias de que davam conta de mais de 500 incêndios num só dia. Braga, Viseu, Aveiro, Leiria. tenho família e amigos em todos estes lugares. ouvi a chegada dos primeiros números, as primeiras vítimas mortais, enquanto assistia ao apedrejamento virtual dos responsáveis do governo, por parte dos cibernautas. serenamente, coloquei-me no lugar deles (governantes), pensei que em quatro meses seria mesmo impossível alterar problemas com décadas. não fui infantil. a meu ver.

depois, o Presidente da Liga Nacional de Bombeiros afirma na SIC que as autoridades estavam informadas de que as temperaturas e as condições no terreno podiam levar a que uma nova tragédia acontecesse e que, mesmo assim, ninguém fez nada. "assumam as responsabilidades", dizia.
os relatos de quem perdeu tudo, as imagens de quem atravessou o fogo para se salvar, o vermelho no céu escuro, o fumo, as cinzas...
e o nosso Primeiro Ministro a dizer, com todas as letras, que é muito provável que este tipo de catástrofe volte a acontecer no nosso País! 


incrédula, pergunto-me: será que em pleno séc. XXI, na era da partilha, da comunicação, dos meios mais avançados de previsão de tudo e de nada, é plausível assistirmos impávidos e serenos a este tipo de declarações??



alguém tem que fazer alguma coisa! 
não peço demissões, não peço férias para quem trabalhou tanto mas infelizmente não fez nada, só peço empatia e atitudes. comecem já a alterar alguma coisa, gastem o que for preciso para reflorestar Portugal, para reerguer as vidas consumidas, para minimizar o que podia ter sido evitado, pelo menos nas suas dimensões. 
Deixem de ser infantis e COMUNIQUEM, entendam-se, deixem as vaidades de lado. Unam-se pelo vosso povo, porque foi isso que apregoaram nas vossas campanhas eleitorais e foi para isso que votaram em vós!





A todos os que sofrem neste momento um abraço apertado.







Sofia**






outubro 06, 2017

ás vezes...






ás vezes também me farto do voltar sempre onde fomos felizes, sorri para a vida que ela sorri de volta, escolhe as pessoas luz para estarem perto de ti... enfim, um sem número de frases feitas positivas, cheias de boas energias que parecem querer dar-nos um boost de optimismo de cada vez que as lemos no facebook, instagram ou blog de alguém. mas de tão repetidas, de tão lidas que são, por vezes, até parecem perder o seu sentido. de tão partilhadas, parece que de repente todos temos que viver numa bolha de felicidade e harmonia, mesmo com o mundo a desabar à nossa volta. nem falo da loucura de Las Vegas, do desnorte em Barcelona ou do perigo iminente na Coreia do Norte. quando ás vezes me farto, penso na mãe que tem que apanhar dois comboios para ir trabalhar, sai de casa com os filhos ainda a dormir e volta quando eles já dormem ou estão prontos para isso. falo na mulher que não encontra a sua cara metade e para além de se ver numa situação de solidão que não lhe agrada, ainda vê o relógio biológico a girar mais depressa que a própria vida. penso naqueles que ainda não encontraram o seu propósito de vida e sofrem com isso. penso naqueles que perderam um ente querido, de forma inesperada ou não. 

bolas, a vida pode ser mesmo dramática, cruel e sem graça nenhuma! (suspiro)
não, não pode! tanto quanto sabemos só temos direito a uma passagem pela vida e todos merecemos desfrutar desta viagem da melhor forma possível. e é aqui que a frase positiva faz todo o sentido, porque todos temos os nossos momentos menos bons, de sofrimento, de crescimento, mas continuamos cá! a vida avança, não pára nem espera enquanto nos fechamos num quarto escuro a ver se a dor desaparece, se a solução surge como por magia. e ás vezes, ler uma frase feita faz-nos sorrir, leva-nos a mudar a perspectiva, traz-nos a energia que não imaginávamos que tínhamos, e a vida volta a fazer sentido. nós sorrimos e, na volta, ela sorri-nos também!
não nos esqueçamos disso!








dia bom! Um fim de semana cheio de sorrisos!



Sofia**
















setembro 15, 2017

só porque vem mesmo a calhar!







"Quase toda a gente vive um bocadinho ensombrada por essa ideia de que gostaria de fazer alguma coisa mas acha que não é para si. E acho que nisso nós, mulheres, somos mais vítimas. Ao longo de séculos fomos ouvindo que isto ou aquilo não era para nós, que eram coisas exclusivas dos homens mas, graças a todos os santos e a muito trabalhinho, a maioria desses mitos têm caído por terra. Hoje em dia, uma mulher pode ser aquilo que quiser, mesmo que haja uma data de barreiras ou de estigmas que ainda persistem. Às vezes somos nós mesmas a impor-nos esses limites, e isso é o pior. Coisas simples como "não vou vestir uma mini-saia porque não sei o que vão pensar de mim", ou "não vou usar um batom vermelho no trabalho porque depois não me levam a sério", ou "não vou usar este vestido porque estou com peso a mais", ou "não vou usar o cabelo curto porque toda a gente diz que não fica bem com a minha cara", ou "não vou convidar um homem para beber um copo porque é ele que tem de dar o primeiro passo", ou "adorava cantar num karaoke, mas acho que não é para mim", ou "adorava aprender japonês, mas acho que não vou conseguir", ou, ou, ou. O "não" continua a estar demasiado presente na nossa vida, e está na hora de nos libertarmos um bocadinho disso. "






in A Pipoca Mais Doce





Um grande SIM a NÓS!

Bom fim de semana,

Sofia**





setembro 06, 2017

e para acampar, o que é preciso?!

o lado mais positivo de acampar é mesmo o fugir à rotina e estarmos mais perto da natureza. dormir num colchão de ar, separados do exterior apenas por uma lona, poder ouvir o mar, o vento, a chuva (aconteceu, mas sem frio!), o barulho dos esquilos nas árvores é uma lufada de ar fresco, uma perspectiva completamente diferente da que temos quando vamos para um quarto de hotel!


mas acampar não tem que ser sinónimo de desconforto, pelo contrário. há imensos acessórios que nos facilitam a vida e que até podem tornar o campismo cheio de estilo, o nosso estilo! 

Então, o que é essencial para acampar?

. como contei anteriormente (aqui e aqui) coube-lhe a ele pesquisar a tenda!
a Queshua tem agora umas tendas insufláveis e com um sistema fresh & black que permite três coisas: 
- rapidez, a montar e desmontar (posso dizer que o primeiro espaço em que ficámos não nos agradou e dois dias depois, em apenas duas horas, mudámos a nossa "casa" de lugar!)
- e é escura por dentro, o que permite dormir melhor quando amanhece, e torna a tenda mais fresca!




depois é procurar o modelo que melhor se adequa a cada família! a nossa tenda tem dois quartos e uma sala no meio, que usávamos para ter a roupa e nos vestirmos. o facto de ser escura por dentro realmente ajuda a dormirmos melhor quando amanhece. quem já acampou sabe que o sol invade as tendas muito cedo e pode incomodar! 
convém comprar uma bomba (na Decathlon sabem aconselhar) e num instante enchemos a tenda, para vazar é só abrir as válvulas. é óptimo! 

. lona para colocar debaixo da tenda, assim não se suja tanto!

. importante também são os colchões. hoje em dia há várias hipóteses, nós optámos por estes (um para nós e outro para os miúdos) e estamos satisfeitos. Também têm um sistema que torna fácil e rápido encher ou arrumar!


. apesar de irmos para um sitio quente, à noite arrefece sempre um pouco, os miúdos destapam-se e os sacos cama são óptimos para que estejam confortáveis. além disso, é espaço que poupamos para não levarmos lençóis e cobertores!


. desculpem alongar-me com os acessórios para dormir, mas para mim é realmente importante. 
uma coisa que nos faltou o ano passado foram as almofadas e fez imensa diferença. há daquelas insufláveis que são boas para pouparmos espaço na hora de arrumar as coisas no carro, mas não eram o ideal para nós. assim, optámos por comprar estas no IKEA e cumpriram muito bem. além disso, serviram de conforto na viagem para os miúdos se encostarem!


. uma lanterna também dá sempre jeito. uma para estar na tenda e termos luz e outra para quando quisermos andar pelo parque. (neste caso o parque tinha iluminação suficiente, sem ser em excesso).

. neste caso a electricidade está incluída, o ideal é levar uma extensão - nós comprámos lá!



Isto foi o essencial, o que levámos. temos um problema de falta de espaço no carro que não nos permitiu levar muito mais - duas malas de roupa, duas pranchas, saco de praia, material de campismo... -  além disso, planeámos fazer as refeições sempre fora (algo mais leve ao almoço, mais composto ao jantar). mas numa próxima vez, gostávamos de fazer a coisa mais a sério e incluir refeições na tenda! faltou-nos essa parte que permite um maior convívio, entre nós e com outros campistas!


o que nos falta?


. uma lona, para fazer de "chão" e podermos andar à vontade sem sujar os pés;

. mesa e cadeiras (algumas opções aqui)



neste parque em particular não havia nenhuma zona comum onde pudéssemos grelhar (em Cabanas de Tavira tem, e é muito bom), o que dá jeito para quem não quer levar grelhador. mas, por outro lado, reparámos que alugam frigoríficos, o que é bom, sobretudo para quem fica muito tempo.

também não tivemos problemas com nenhum tipo de bichos da natureza (formigas, mosquitos...) o parque é impecavelmente limpo e os campistas cuidadosos!


e depois há o conforto, fazer da nossa tenda uma casa...

notas:

- levar cama de rede...

- um toldo... 
- cadeirões (insufláveis)...
- jogos para entreter...
- luzinhas para enfeitar...



achei tão giro o pormenor de haver muitas tendas enfeitadas. não tirei mais fotos porque podiam achar estranho!! :)




espero ter ajudado quem me pediu dicas sobre o campismo. estejam à vontade para partilhar o que acharem útil!










obrigada por estarem desse lado!



Sofia**



agosto 04, 2017

Sorry, out to live...









chega esta altura do ano e já todos estamos fartos de ver, ler e assimilar tanta informação que nos aparece quase ao segundo. não é? por isso é natural vermos blogues em ponto morto, noticias que são mais do mesmo, revistas que nos apresentam famosos em bikini, dietas e pouco mais.
nós por cá não somos excepção! este blogue entra em standby no mês de agosto, pois claro! vamos de férias e não levo computador, apenas o telemóvel para dar noticias à família e partilhar alguma coisa no Instagram. se quiserem aparecer por lá digam Olá! :) (podem aceder directamente do lado direito, em baixo)

além disso, fiz mais este ano, já hibernei a minha conta de Facebook pessoal e farei o mesmo à do blogue mal saia este post. a ideia é desinstalar a app do telefone, pelo menos durante este mês, para não perder mesmo tempo nenhum com as polémicas vazias que às vezes nos consomem tanto tempo sem darmos por isso. acho que muitas vezes o nosso cansaço mental se deve em grande parte à energia que gastamos com o que não vale a pena e se é para ter férias então desligo de uma rede social que considero, por vezes, um bocado sanguessuga, se é que me entendem!?




assim, desejo a TODOS os que por aqui passam umas férias FELIZES, com muito tempo de QUALIDADE com os vossos e que possam aproveitar cada momento com FAMILIARES e AMIGOS. 
E não se esqueçam, tirem muitas FOTOGRAFIAS, façam vídeos, porque um dia mais tarde vai ser tão BOM de ver!!



Ah, aos mais RECENTES seguidores deste blogue sejam muito BEM-VINDOS!!
Podem viajar pelos separadores (em cima) para nos conhecerem melhor ou clicar nas mais lidas (à direita). há receitas, DIY, viagens, opiniões e preferências, cartas de amor... há VIDA! espero não desiludir!









Até Setembro e dias felizes,

Sofia**












julho 06, 2017

o meu último vício na Tv...

numa fase em que as séries andam em banho maria, e em que já só espero que o inverno chegue em pleno verão (diz que é já dia 16... if you know what I mean!!), eis que há umas semanas num zapping acelerado, parámos na SIC Mulher. não em lembro bem o que nos fez ficar a ver, talvez o facto de se passar em Nova Iorque, as "personagens" serem cativantes ou as casas deslumbrantes... alguém sabe do que estou a falar?




Casas de luxo em Nova York, é um reality show que acompanha o dia a dia de três mediadores imobiliários na Big Apple. E como tudo o que se passa naquela cidade, também os negócios imobiliários são em grande! Quem acompanha pode confirmar o que vos conto, vender uma casa não é uma venda, é todo um espectáculo. Eles estudam o público alvo, mobilam a casa se for preciso de acordo com a personalidade que vêem na propriedade, fazem open houses que são festas temáticas de luxo e, se for preciso, contratam realizadores para filmes publicitários de apartamentos avaliados em 23 milhões de dólares... vale tudo para vender!
os valores são surreais! um T1 pode custar vários milhões, há penthouses maravilhosas que nos fazem sonhar, e as comissões destes medidadores, claro, são prémios do euromilhões! tudo nos leva a crer que realmente há muito dinheiro neste mundo. muito mesmo. a América em geral, e Nova Iorque em particular, é mesmo a terra dos sonhos, sem dúvida! (ok, sim, um bocadinho arrependida de há 12 anos não ter ficado por lá a viver e a... enriquecer!!)


como reality show que é, também acompanha a vida pessoal dos mediadores. agora que já vi vários episódios, uma temporada completa, percebo que o que se passa é real. claro que há situações mais puxadas, com algum show off, porque este é um programa de Tv, mas as quezílias entre eles, a competitividade extrema, a excentricidade dos clientes, as fortunas que existem, são mesmo reais. 
a vida destes três homens atraentes, na casa dos trinta, ou melhor quatro, se contarmos com o marido do Fredrik, é cheia de... vida! 
Fredrik é sueco, mas está há muitos anos nos EUA. É o mais velho dos três e com mais experiência no ramo imobiliário. Um pouco excêntrico, emotivo e engraçado, e está na luta por se tornar um ser humano melhor, agora que alcançou o topo da carreira.
Ryan é do Texas e, segundo o próprio, a cidade de NY e a profissão que exerce têm-no obrigado a tornar-se mais duro e competitivo, embora ele esteja atento a estas mudanças e com a ajuda da namorada tente ser melhor. 
E o Luís, porto riquenho que ainda adolescente disse aos pais que ia até à praia e embarcou para NY para lutar pelos seus sonhos. Fez várias coisas, começou nas limpezas, até chegar à melhor empresa do ramo imobiliário. é a personificação do sonho americano. super enérgico, cheio de garra e vontade de viver a vida. considera-se um Happyholic e luta diariamente por ser ainda mais feliz. sou fã dele!
sigo-os no instagram e percebo que são realmente amigos e que as vidas deles são assim, fantásticas! (claro, que como tudo no IG,  têm os seus filtros, mas são inspiradoras).



Não sei se conheciam este programa ou se há algum outro que gostassem de partilhar?


Espero que gostem!


Sofia**












julho 04, 2017

Férias = Crianças e Prevenção

quem tem filhos pequenos sabe que não podemos desviar o olhar um segundo, caso contrário, corremos o risco de os perdermos, ou quando vemos eles já estão no meio da estrada ou sabe Deus onde. 
agora, com a chegada das férias e do verão, em que passamos mais tempo com eles mas também estamos mais descontraídos (e ainda bem), a atenção tem que ser redobrada, porque não há olhos que cheguem para as multidões nos shoppings, as multidões no mar e nas piscinas, as multidões nas ruas, e tantas outras cenas!





nós por cá apostamos na prevenção. falamos com eles, explicamos o porquê de exigirmos os cintos postos no carro, a mão dada a atravessar a rua, os cuidados no mar, o que se pode dizer ou não a um estranho. 
sim, um estranho. no outro dia quando dei conta, o Rodrigo contava onde morávamos, o que fazíamos, o que vamos fazer nas férias, só faltava dar o número da conta bancária a alguém que tinha acabado de conhecer! falei com ele, expliquei-lhe que não deve dizer assim tuuudoo a toda a gente... resultado? passados uns dias, numa esplanada, ele esteve largos minutos a conversar com uma senhora que devia ter para cima dos 80 anos e com um ar muito simpático. quando íamos embora e o fomos chamar, a senhora deu-nos os parabéns, ele estava muito bem ensinado sobre falar com estranhos porque... nem o nome lhe quis dizer!!
por outro lado, quando a minha mãe cá esteve e saiu com o Rodrigo, veio muito admirada por ele não a ter deixado atravessar a rua, mesmo sem virem carros de lado nenhum. "O sinal está vermelho para os peões, avó!" foi a justificação dele!



Então, vou partilhar alguns exemplos do que fazemos por cá, em termos de prevenção:



- Estou Aqui : já é o 3º ano que aderimos às pulseiras da PSP. é simples, basta um registo no site e ir buscar à esquadra mais próxima. as pulseiras têm um código e quando a criança é encontrada e se liga para o 112, basta dar o código e assim acedem aos contactos dos pais. Os meus rapazes já andam a exibi-las!


- Estranhos: explicamos que não se deve dizer tudo a toda a gente, pormenores da nossa vida a qualquer pessoa que meta conversa connosco. obviamente, eles ainda estão a medir o bom senso nestas coisas, mas com o tempo, vamos lá!


- Mar e piscina: 
. Só entramos no mar se estiver bandeira verde, caso contrário, ficamos só a contemplá-lo. 
. Mesmo com a bandeira verde, só podem ir a banhos com um adulto. 
. O Duarte (4) ainda usa braçadeiras, e quando as estou a colocar, vou perguntando se ele acha que estão bem colocadas - bem cheias, com os pipos fechados e colocados para dentro! (isto para, se estiverem com outras pessoas, que possam não ligar a estes pormenores importantes, ele alertar, como já aconteceu). 
. se estiverem muitos meninos na água e algum estiver aflito, chamar logo um adulto e não ir ajudar. (esta é mais para o Rodrigo que acha que já é muito crescido e que nada muito bem... só que não!)
. Nas piscinas os cuidados são mais ou menos os mesmos, só não há bandeira, mas obviamente também não podem entrar ou brincar por perto sem a presença de um adulto. 


- Carro: nas viagens longas e mesmo nas mais curtas, seja com quem for, não andam sem ser nas cadeiras e com os cintos postos. Houve uma altura em que o Duarte estava com a mania de tirar o cinto ou passar um dos braços por baixo, o que retirava a eficácia ao cinto. Parávamos assim que podíamos, colocávamos o cinto bem e explicávamos todos os perigos de viajar sem cinto. Felizmente, o manos ajudava porque sempre foi mais certinho em seguir estas regras. Foi uma fase, já passou.


- Rua/Estrada: na rua devem andar sempre perto de nós e avisar quando querem ir ver alguma coisa. claro que nem sempre acontece. as crianças têm o radar da curiosidade ligado ao botão do imediato e, também por isso, temos que ter mil olhos. para atravessar a estrada, só com o verde para peões... ás vezes à noite, sem carros, as ruas desertas, e nós à espera do verde... acontece!


Lendo agora tudo isto, pode parecer que somos uns freaks da segurança que não os deixamos fazer nada. Pelo contrário. Adoro que eles explorem tudo à sua volta, arranhões e nódoas negras não fazem mal a ninguém, mas acho que há questões de segurança e prevenção que lhes devem ser mesmo passadas, é a nossa obrigação enquanto pais.
ensinar-lhes o porquê de determinadas exigências que fazemos, para que percebam que não é por sermos chatos, e que não é para seguirem só quando estão connosco. é para a sua segurança e em qualquer altura, estejam com quem estiverem (avós, tios, colónias de férias, ATL's...)! é esta a questão!




Espero que tenham gostado e adoraria saber quais os vossos métodos em segurança e prevenção.





Boas férias!!!

Sofia**




junho 26, 2017

24 semanas





estou mesmo feliz porque há 24 semanas atrás tomei uma decisão.
estou mesmo feliz porque há 24 semanas atrás coloquei um plano em prática.
estou mesmo feliz porque ao longo de 24 semanas não perdi o foco.
estou mesmo feliz porque não me propus a correr uma maratona.
estou mesmo feliz porque comecei com pequenos passos e, aos poucos, alterei a minha rotina.
estou mesmo feliz porque ao longo de 24 semanas não deixei de aproveitar a vida, pelo contrário, vivo melhor.
estou mesmo feliz porque os resultados já são visíveis (longe da "minha perfeição") e, consequentemente, sinto-me melhor comigo.
estou mesmo feliz porque em vez de lamentar o tempo em que me esqueci e em que me acomodei, celebro estas 24 semanas de regresso a uma das coisas que mais gosto de fazer: cuidar de mim!

estou mesmo feliz porque tudo isto foi conseguido por mim, mas também pode ser por ti, basta começares!





Força!

Sofia**







Também podem gostar de ler este post.


















junho 19, 2017

A bipolaridade da mãe natureza...





neste fim de semana, enquanto a maior parte de nós se divertia e contemplava a beleza natural deste nosso lindo país, muitos viviam um verdadeiro inferno que chegou sem aviso.
a natureza tem este poder, o de nos deixar deslumbrados com a sua beleza, a sua grandiosidade e capacidade de se construir e, por outro lado, deixa-nos devastados quando a sua força ganha vida própria e causa tanta destruição.
é o maior incêndio e com maior número de vítimas de que há memória em Portugal. as imagens, do durante e do depois, são impressionantes, mas são imagens... só quem está no terreno sente verdadeiramente o que se passa.
muita força a todos os que vivem de perto esta tragédia. aos que perderam, aos que tentam salvar, aos que sobrevivem.
e que depois disto, os críticos se juntem para encontrar soluções para que incêndio algum volte a tomar estas proporções.







Bem hajam!

Sofia**






abril 28, 2017

Baleia Azul




Ontem uma amiga enviou-me o link de uma suposta administradora do jogo Baleia Azul com a indicação para jamais aceitar o pedido de amizade sob pena de entrar neste jogo da morte.
Os meus filhos são pequenos (4 e 6), ainda não têm telemóvel nem acesso à internet, por isso, sinceramente, ainda não me tinha inteirado sobre este jogo terrível de que toda a gente fala. mas acho que, qualquer que seja o jogo que se queira evitar, afastar dos nossos filhos, que mais tarde ou mais cedo vão ter acesso a tudo o que de bom e mau existe na internet (e na vida real), o mais importante é estarmos com eles, presentes na vida deles, com vínculos fortes e valores interiorizados. 
é a maior arma de defesa que os pais podem passar aos filhos!




"os nossos filhos precisam de um futuro com menos ansiedade e mais valores reais. precisam de pais presentes."

Não podia concordar mais!







Sofia**




abril 20, 2017

somos só humanos. todos!




faz-me imensa confusão a facilidade com que se julga o outro. a sério. não sendo nenhuma santa, longe disso, não consigo perceber como se acusa, julga e dita a sentença sem dó nem piedade. como é que, apenas com base nas letras gordas dos jornais que precisam de obter visualizações nas suas noticias, somos todos uns certinhos que sabem tudo e nunca erraram. 
sim, há erros graves, sim há erros com que se tem que lidar terrivelmente durante toda a vida, e sim, nenhum de nós está livre de um dia poder cometer um erro assim. não se iludam, já diz a música, somos só humanos, apesar de tudo! 
haja mais empatia no mundo. e sejam gentis, por favor. não se esqueçam que os nossos filhos aprendem com os exemplos, que têm em casa









Sofia**
















março 23, 2017

alerta à navegação... ou serviço público!



não confundam as coisas. 
quem tem carro sabe que há pelo menos duas coisas que tem que pagar anualmente: o selo (ou Imposto Único de Circulação) e a inspecção. 
ora, acontece que ambos costumam ter data limite de pagamento no mesmo mês. digamos que seja Março! mas ATENÇÃO: no mesmo mês NÃO significa que seja no mesmo dia! Não!! porque o selo podem pagar até ao final do mês da matrícula do carro, digamos que seja Março, ok? mas não se atrasem, nem sequer umas horas depois da meia noite do dia 31, porque passados uns meses, ou até anos, podem receber no correio a multinha para pagar esse atraso. são só €15.00 €25.00! ok? pronto, isto em relação ao IUC. entendidos?

mas depois temos a inspecção. não confundam as coisas! a inspecção tem que ser realizada até à data da matrícula do carro, isto é, o dia! (vão lá ver no livrinho verde que está lá tudo!) mas digamos que é 15 de Março! ora, deviam ter levado o carro à inspecção antes do dia 15, porque senão, arriscam-se um belo dia, estarem a sair do trabalho, e terem o azar de estar um carro patrulha estrategicamente colocado numa rotunda perto do vosso local de trabalho, que vos tira um raio x ao carro, e a seguir está um Sr. guarda, mais à frente, a mandar-vos parar e a dizer com ar simpático: 

- Muito boa tarde! Então passe para cá €250.00 porque há já 3 dias que devia ter levado o carro à inspecção e ainda anda aqui a infringir a lei!

(momentos incrédulos, de surpresa e troca de palavras...)

- mas Sr. guarda, o carro esteve na oficina a mudar as pastilhas dos travões, tenho a inspecção marcada para amanhã!

- pois, mas sabe, já podia ter feito a inspecção há 3 meses... imagine que tem um acidente? o seguro não lhe paga nada sem ter a inspecção feita! são €250.00!

- mas... amanhã de manhã estou com o carro o centro de inspecções!!...

- não, olhe são €250.00 mas não se preocupe, agora vai ao posto e pede para pagar em prestações, depois eles ainda levam muito tempo a responder. e quando vier a resposta, depois pronto, vai pagando aos poucos, não vai custar nada!

- ???!???!!! (PqP!)

(...)


(sim, Sr. guarda, vai custar porque, entre outras coisas, €250.00 é o preço da bicicleta que ando há meses a namorar e ainda não comprei porque, enfim, são €250.00... já devia era ter mudado de transporte há mais tempo!)




não confundam as coisas! a inspecção Tem que ser realizada antes do DIA da matrícula do carro. não no final do mês da matrícula do carro!! evitem este roubo, por favor!






Sofia**











março 22, 2017

hoje falamos de DEPRESSÃO


"Há cerca de dois anos enchi uma banheira com água e fui despedir-me dos meus filhos. O meu marido só chegaria daí a duas horas, por isso tinha tempo. Sabia tim-tim por tim-tim como seria. As lâminas há muito compradas, guardadas para a sua entrada triunfal. A porta fechada, para que não fossem os meus filhos a encontrar-me. Só faltava assegurar-me que guardariam com eles a mensagem principal: que eu os amava e que não era culpa deles. 
Sentei-os no sofá em frente à televisão e fi-los repetir duas vezes comigo: «A mamã gosta muito de mim e aconteça o que acontecer não é culpa minha». O meu filho mais pequeno, então com dois anos, repetiu mecanicamente e continuou a ver os desenhos animados. Desejei ardentemente que não se lembrasse de mim quando crescesse. O meu filho mais velho, de quatro anos, começou a repetir, e de repente parou e perguntou: «Mamã, estiveste a cortar cebola?».
Só me lembro de sair da sala cambaleante, desarmada por aquela ingenuidade imaculada e certeira, e de começar a hiperventilar. Depois não sei o que aconteceu. Duas horas mais tarde, quando o meu marido chegou a casa, os meninos informaram-no que a mamã estava a dormir no chão da cozinha."


este testemunho não me sai da cabeça desde que o li. pensar no sofrimento psicológico em que é preciso estar para planear fazer algo assim é aterrador. isto quando esta tristeza profunda não arrasta os filhos para as banheiras do abismo, como acontece tantas vezes. projectei-me, imaginei-me há dois anos, com dois filhos das mesmas idades, e uma banheira cheia... 
quando me licenciei em psicologia, há 12 anos, ir ao psicólogo era uma vergonha, era como ser considerado maluquinho, e quem ia escondia-o tanto quanto podia. hoje, apesar de se verificar uma alteração de mentalidades, continua a existir algum estigma relativamente à procura de apoio psiológico. 
o sofrimento psicológico continua a ser muito desconsiderado, colocado em segundo, terceiro, último plano porque, aparentemente, a pessoa está bem. quer dizer, tem pernas e braços funcionais, mexe-se e nem tem nenhuma ferida aberta, a sangrar, porque não há-de estar bem? por vezes até tem família, emprego, e dinheiro na conta para os gastos. deprimida?! porquê?? é deixar de frescuras e preguiça e levantar-se da cama, que o que não falta são coisas para fazer! ir ao psicólogo? nem pensar, o que é que as pessoas vão dizer? que está maluca? que o tico e o teco deixaram de funcionar!? não, o melhor é ocupar, ocupar o tempo todo, com os filhos e os amigos, emprego e actividades... olha, ou então vai ao médico de família que ele passa-te qualquer coisa e sentes-te melhor. como se a depressão desaparecesse com ocupação, como se fosse uma mania de quem não se quer levantar da cama de manhã, quem não sabe agradecer o que tem de bom na vida. e os comprimidos do médico de família até podem ajudar, um tempo, mas não curam...
a depressão é muito mais do que isso. sabiam que 1 em 4 pessoas sofre de depressão? SO-FRE. importante sublinhar esta palavra. por ano, em Portugal, 1200 pessoas cometem suicídio.
se tiverem um familiar ou amigo que demonstre sinais de depressão, não lhe digam que são manias de quem não tem com que se preocupar. ajudem. compreendam. apoiem. não deixem que um dia vos chegue a noticia da tragédia que podiam ter ajudado a evitar.
deixo aqui uma lista de sintomas que, quando persistentes, devem ser sinais de alerta e indicadores de que devem procurar ajuda especializada:
- tristeza prolongada
- desinteresse nas actividades que anteriormente gostava
- cansaço persistente
- falta ou excesso de apetite
- sonolência ou perda de sono
- diminuição do desejo sexual
- diminuição da auto estima
- ideias relacionadas com morte

procurar ajuda não é sinal de fraqueza, de pouco juízo, não é coisa para "malucos". é sinal de lucidez, de quem percebe que está em sofrimento e procura quem o pode ajudar a não cair no abismo. 
Espero ter sido útil. se alertei pelo menos uma pessoa mais desatenta, já ficarei feliz.

se quiserem ler o testemunho completo podem fazê-lo aqui.



Sofia**


fevereiro 03, 2017

CUIDADO!

vivi sempre perto do mar, por isso não sei o que é acordar sem sentir o seu cheiro, ouvir o seu barulho ou ver-lhe a cor, nem que seja uma vez por semana! o mar acalma, eleva-me o espírito nos dias mais cinzentos, rejuvenesce-me na sua frescura quando mergulho nele (nos dias mais quentes de verão). para mim, o mar é uma fonte de inspiração, de energia, e de tantas recordações e alegrias. 
e espero que continue a ser sempre assim...










tirei estas fotografias há exactamente um ano. não sei se havia algum alerta ou não, mas o mar metia respeito suficiente para nos mantermos à distância. e foi o que fiz. não arrisquem, se avisam que é perigoso, é porque é! se dizem para não pormos os pés na areia, porquê arriscar?? haverá tantos outros dias para o contemplar... certo?




e se quiserem tirar fotografias em segurança, invistam numa máquina com um bom zoom.... ;)







Bom fim de semana! e juízo!





Sofia**










janeiro 12, 2017

12 de janeiro... 5 anos!


escrevo aqui desde 2012, faz hoje cinco anos! 
já são muitos caracteres, linhas onde registei momentos bons, já escrevi sobre actualidades e banalidades, já partilhei viagens, passeios, coisas simples da vida de todos os dias, e algumas dúvidas também. o meu primeiro filho, que na altura ainda não tinha dois anos, já vai a caminho dos sete, e nos entretantos, tornei-me mãe de dois, faz em Fevereiro quatro anos! e vocês acompanharam tudo! isto de ter um blogue é coisa boa, sobretudo quando nos serve de ferramenta de introspecção, mas também porque a partilha positiva e bonita das melhores coisas da vida só nos pode fazer bem!

deixo-vos este hot chocolate (que há que tempos ando para fazer) em jeito de miminho por estarem desse lado! Obrigada! Boa noite...



(Ah, e se quiserem, estejam à vontade para se darem a cohecer na caixa de comentários. adoraria conhecer-vos!)





kiss, kiss

Sofia**











janeiro 06, 2017

e em Dia de Reis vos escrevo...




antes de mais BOM ANO! obrigada por estarem desse lado, por nos lerem, por demonstrarem de alguma forma que gostam deste blogue! Obrigada!

a modos que desapareci durante as festas por vários e válidos motivos. primeiro porque estive sem pc (e não me ajeito a escrever posts no telemóvel... manias). estava leeentooo, mas tão lento que era difícil escrever alguma coisa. achei que o fim de ano era propicio a um reset e lá foi ele de férias para ver se vinha mais descansado. e até agora, acho que lhe fez bem! e depois porque era tempo de férias em família, filhos em casa, viagens para casa dos avós, rodeados de sobrinhas, pais, avós, netos, rabanadas na mesa, e luzinhas a cintilar... aposto que desse lado foi parecido, de tal forma que achei que não iam sentir muito falta de ler... enganei-me?! Mas quem me segue no instagram, app maravilhosa que inventaram, já sabe mais qualquer coisa. Podem seguir aqui se quiserem!
voltei, pois então, e tenho muita coisa para contar. vou actualizar os posts, vou mostrar por onde andámos, e espero que continuem por aí!!






beijinhos e mais uma vez: Feliz Ano Novo!! Que façam do vosso 2017 um ano magnifico!!

#2017seráoquefizeresdele






Sofia**
















novembro 16, 2016

let´s fall...




o melhor do outono são as suas cores, é o brilho do sol nos dias mais frios, o cheirinho da castanha assada, a batata doce, o crocante das romãs, o mel dos dióspiros. os dias são mais curtos, óptimos para nos aconchegarmos em casa, enrolarmos os pés na manta e assistirmos um bom filme (infantil) . risos para os mais activos, os passeios de bicicleta sabem tão bem, ou os passeios a pé a pisar as folhas secas que decoram o chão... as fotos são maravilhosas!
Também gostam desta estação?




let´s fall in love for the simple things!





Sofia**





agosto 11, 2016

equilíbrio....





encontrar o equilíbrio não é fácil mas é fundamental. requer muitas vezes decisões pensadas, actos de coragem, audácia e vontade de arriscar. antes de se encontrar o ponto onde tudo bate certo, por vezes, temos que abanar a estrutura, ver se ela é forte, perceber onde (e em quem) nos podemos apoiar, caso na primeira tentativa, e quem sabe nas seguintes, ocorram quedas duras de aguentar.
encontrar o equilíbrio não é fácil, a sua procura dá frio na barriga, pode tirar horas à cama, causar défice de sono, um desconforto... mas quando chegamos ao ponto com que tanto sonhámos, quando percebemos que tudo bate certo, sabemos que conquistámos o pódio pelo qual tanto trabalhámos.

é tudo uma questão de equilíbrio...







Sofia**