Mostrar mensagens com a etiqueta Love Live & Fun. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Love Live & Fun. Mostrar todas as mensagens

outubro 17, 2017

não, não sou infantil!


depois de 17 de Junho deste ano, achei que o que de mais terrível podia acontecer no nosso País já tinha acontecido. fogos terríveis que desvastaram casas, empregos, famílias. 65 mortos. pior que isto era impossível. achava eu.
achei mesmo que depois destes acontecimentos de Junho, as autoridades e o governo iam começar a alterar o que já devia ter sido alterado há muitos anos, a repensar as leis, as penas e a reordenação das florestas, investir em meios e profissionalizar os bombeiros. claro que não fui ingénua ao ponto de pensar que em poucos meses tudo mudaria. não sou infantil! mas sinceramente achei que, pelo menos, a comunicação entre os maiores intervenientes da Protecção Civil, Liga Nacional de Bombeiros, Governo em geral, iria tornar-se clara, franca e sem rodeios. mas não.


ouvi as noticias de que davam conta de mais de 500 incêndios num só dia. Braga, Viseu, Aveiro, Leiria. tenho família e amigos em todos estes lugares. ouvi a chegada dos primeiros números, as primeiras vítimas mortais, enquanto assistia ao apedrejamento virtual dos responsáveis do governo, por parte dos cibernautas. serenamente, coloquei-me no lugar deles (governantes), pensei que em quatro meses seria mesmo impossível alterar problemas com décadas. não fui infantil. a meu ver.

depois, o Presidente da Liga Nacional de Bombeiros afirma na SIC que as autoridades estavam informadas de que as temperaturas e as condições no terreno podiam levar a que uma nova tragédia acontecesse e que, mesmo assim, ninguém fez nada. "assumam as responsabilidades", dizia.
os relatos de quem perdeu tudo, as imagens de quem atravessou o fogo para se salvar, o vermelho no céu escuro, o fumo, as cinzas...
e o nosso Primeiro Ministro a dizer, com todas as letras, que é muito provável que este tipo de catástrofe volte a acontecer no nosso País! 


incrédula, pergunto-me: será que em pleno séc. XXI, na era da partilha, da comunicação, dos meios mais avançados de previsão de tudo e de nada, é plausível assistirmos impávidos e serenos a este tipo de declarações??



alguém tem que fazer alguma coisa! 
não peço demissões, não peço férias para quem trabalhou tanto mas infelizmente não fez nada, só peço empatia e atitudes. comecem já a alterar alguma coisa, gastem o que for preciso para reflorestar Portugal, para reerguer as vidas consumidas, para minimizar o que podia ter sido evitado, pelo menos nas suas dimensões. 
Deixem de ser infantis e COMUNIQUEM, entendam-se, deixem as vaidades de lado. Unam-se pelo vosso povo, porque foi isso que apregoaram nas vossas campanhas eleitorais e foi para isso que votaram em vós!





A todos os que sofrem neste momento um abraço apertado.







Sofia**






outubro 06, 2017

ás vezes...






ás vezes também me farto do voltar sempre onde fomos felizes, sorri para a vida que ela sorri de volta, escolhe as pessoas luz para estarem perto de ti... enfim, um sem número de frases feitas positivas, cheias de boas energias que parecem querer dar-nos um boost de optimismo de cada vez que as lemos no facebook, instagram ou blog de alguém. mas de tão repetidas, de tão lidas que são, por vezes, até parecem perder o seu sentido. de tão partilhadas, parece que de repente todos temos que viver numa bolha de felicidade e harmonia, mesmo com o mundo a desabar à nossa volta. nem falo da loucura de Las Vegas, do desnorte em Barcelona ou do perigo iminente na Coreia do Norte. quando ás vezes me farto, penso na mãe que tem que apanhar dois comboios para ir trabalhar, sai de casa com os filhos ainda a dormir e volta quando eles já dormem ou estão prontos para isso. falo na mulher que não encontra a sua cara metade e para além de se ver numa situação de solidão que não lhe agrada, ainda vê o relógio biológico a girar mais depressa que a própria vida. penso naqueles que ainda não encontraram o seu propósito de vida e sofrem com isso. penso naqueles que perderam um ente querido, de forma inesperada ou não. 

bolas, a vida pode ser mesmo dramática, cruel e sem graça nenhuma! (suspiro)
não, não pode! tanto quanto sabemos só temos direito a uma passagem pela vida e todos merecemos desfrutar desta viagem da melhor forma possível. e é aqui que a frase positiva faz todo o sentido, porque todos temos os nossos momentos menos bons, de sofrimento, de crescimento, mas continuamos cá! a vida avança, não pára nem espera enquanto nos fechamos num quarto escuro a ver se a dor desaparece, se a solução surge como por magia. e ás vezes, ler uma frase feita faz-nos sorrir, leva-nos a mudar a perspectiva, traz-nos a energia que não imaginávamos que tínhamos, e a vida volta a fazer sentido. nós sorrimos e, na volta, ela sorri-nos também!
não nos esqueçamos disso!








dia bom! Um fim de semana cheio de sorrisos!



Sofia**
















setembro 29, 2017

sobre ontem *


"primeiro acredita, porque é assim que tudo começa. depois descomplica, porque é assim que tudo avança. a seguir confia, porque é assim que respiras fundo. e já na estrada, de mangas arregaçadas e olhar focado no caminho, ajusta a tua bússola. marca o teu ritmo.
pelo caminho, abraça muito.  ao longo da viagem, sê mais do que construtora da tua vida: sê também cuidadora da tua vida, de ti. 
de certo e de garantido saberás, apenas, que o mundo dá voltas todos os dias. que a vida só te vai trazer [e fazer permanecer] o que te pertence. que a fé é a única força segura que te faz mover. que milagres acontecem [quando acreditas com o coração]. e que o amor, o teu e o dos que te querem bem, é a única bagagem que deves carregar para todo o lado. 
não vou jurar que vai ser fácil. mas prometo que vai valer a pena deixar (só) o coração falar."





* obrigada N.!  ;)

setembro 15, 2017

só porque vem mesmo a calhar!







"Quase toda a gente vive um bocadinho ensombrada por essa ideia de que gostaria de fazer alguma coisa mas acha que não é para si. E acho que nisso nós, mulheres, somos mais vítimas. Ao longo de séculos fomos ouvindo que isto ou aquilo não era para nós, que eram coisas exclusivas dos homens mas, graças a todos os santos e a muito trabalhinho, a maioria desses mitos têm caído por terra. Hoje em dia, uma mulher pode ser aquilo que quiser, mesmo que haja uma data de barreiras ou de estigmas que ainda persistem. Às vezes somos nós mesmas a impor-nos esses limites, e isso é o pior. Coisas simples como "não vou vestir uma mini-saia porque não sei o que vão pensar de mim", ou "não vou usar um batom vermelho no trabalho porque depois não me levam a sério", ou "não vou usar este vestido porque estou com peso a mais", ou "não vou usar o cabelo curto porque toda a gente diz que não fica bem com a minha cara", ou "não vou convidar um homem para beber um copo porque é ele que tem de dar o primeiro passo", ou "adorava cantar num karaoke, mas acho que não é para mim", ou "adorava aprender japonês, mas acho que não vou conseguir", ou, ou, ou. O "não" continua a estar demasiado presente na nossa vida, e está na hora de nos libertarmos um bocadinho disso. "






in A Pipoca Mais Doce





Um grande SIM a NÓS!

Bom fim de semana,

Sofia**





setembro 04, 2017

regresso...

deve ser a palavra mais escrita, mais falada neste inicio de Setembro. regresso a casa, regresso ao trabalho, regresso à escola, ás rotinas. o regresso não tem que ser necessariamente mau mas custa, custa muito desabituar-mo-nos dos dias sem planos, das refeições fora de horas, dos chinelos no pé e de não ter de dar cavaco a ninguém. infelizmente (ou felizmente, não sei...) não dá para ter um sem o outro.

o regresso também pode ser sinónimo de entusiasmo por contar e ouvir novidades, pensar em alterar algumas coisas na decoração da casa, escolher a roupa da nova colecção para os miúdos (e não só!), fazer planos ou revê-los para que o último trimestre do ano seja produtivo e, acima de tudo, positivo!


é o regresso também aqui ao blogue, parado há mais de um mês. estas férias a quatro foram longe de casa, prometo contar e mostrar tudo em breve. foram dias mesmo muito felizes, há muito tempo que ansiávamos por uns dias assim. demos por nós a abraçar-nos de sorriso escancarado sem saber bem porquê. regressamos de coração cheio, alma lavada, laços ainda mais apertados e com muitas histórias para contar.

para já deixo-vos algumas fotografias para aguçar o apetite!




 





E podem sempre acompanhar-nos no instagram @sofia_ferr  :)







Bom regresso!!

Sofia**










agosto 04, 2017

Sorry, out to live...









chega esta altura do ano e já todos estamos fartos de ver, ler e assimilar tanta informação que nos aparece quase ao segundo. não é? por isso é natural vermos blogues em ponto morto, noticias que são mais do mesmo, revistas que nos apresentam famosos em bikini, dietas e pouco mais.
nós por cá não somos excepção! este blogue entra em standby no mês de agosto, pois claro! vamos de férias e não levo computador, apenas o telemóvel para dar noticias à família e partilhar alguma coisa no Instagram. se quiserem aparecer por lá digam Olá! :) (podem aceder directamente do lado direito, em baixo)

além disso, fiz mais este ano, já hibernei a minha conta de Facebook pessoal e farei o mesmo à do blogue mal saia este post. a ideia é desinstalar a app do telefone, pelo menos durante este mês, para não perder mesmo tempo nenhum com as polémicas vazias que às vezes nos consomem tanto tempo sem darmos por isso. acho que muitas vezes o nosso cansaço mental se deve em grande parte à energia que gastamos com o que não vale a pena e se é para ter férias então desligo de uma rede social que considero, por vezes, um bocado sanguessuga, se é que me entendem!?




assim, desejo a TODOS os que por aqui passam umas férias FELIZES, com muito tempo de QUALIDADE com os vossos e que possam aproveitar cada momento com FAMILIARES e AMIGOS. 
E não se esqueçam, tirem muitas FOTOGRAFIAS, façam vídeos, porque um dia mais tarde vai ser tão BOM de ver!!



Ah, aos mais RECENTES seguidores deste blogue sejam muito BEM-VINDOS!!
Podem viajar pelos separadores (em cima) para nos conhecerem melhor ou clicar nas mais lidas (à direita). há receitas, DIY, viagens, opiniões e preferências, cartas de amor... há VIDA! espero não desiludir!









Até Setembro e dias felizes,

Sofia**












julho 24, 2017

deixo-me ir...






o sol já vai baixo, os tons são dourados, os miúdos brincam na água, estão entregues.
à beira mar deito-me na areia húmida, arrepia-me o corpo, refresca-me e satisfaz. em cima o céu azul nos meus olhos. fecho-os e deixo-me ir.
as ondas do mar, a música que embala, o som das conversas alheias misturadas, distantes, as risadas das crianças que brincam por ali, as gaivotas que pairam no ar. os sons. deixo-me ir.
agarro a areia com as mãos. esfrego os dedos uns contra os outros, sinto os grãos, a textura, num misto de cócegas aperto e relaxo. descrevo tudo isto para mim, em silêncio. deixo-me ir.
a brisa alivia o calor do sol que ainda queima a face direita. sabe tão bem.
finco os pés e deslizo as pernas de encontro ao chão. os arrepios da areia molhada. está perfeito. 
oiço um chamar mãe que sei que é para mim e alguém diz deixa-te estar. não me deixo.
levanto-me  num salto e sou mãe outra vez.










julho 20, 2017

World Press Photo 2017

Foi no passado fim de semana que abriu a exposição Wolrd Press Photo 2017, no Fórum Algarve, em Faro. Ainda não tive oportunidade de lá ir mas de certo que o farei.
Em 2016 fui com os miúdos e eles ficaram um bocado impressionados, sobretudo o Rodrigo. Havia muitas fotografias que retratavam o drama vivido pelos refugiados. não foi fácil de ver. Mas também havia desporto e paisagens, coisas mais bonitas, por assim dizer. este ano quero ir sozinha, para ver tudo com mais calma, e depois quem sabe voltar com eles.
















Para quem está no Algarve, até 6 de Agosto entre as 10h00 e as 00h00, podem visitar esta exposição de fotografias de grande qualidade, de forma gratuita no Fórum Algarve.


Ah, quanto a estas fotografias em cima são minhas, uma espécie de World Press Sofia... (risos) 







Dias bons para vocês!
Sofia**






Este post também vos poderá interessar!







julho 17, 2017

refeições leves e bebidas frescas!

Para quem me segue no instagram não é novidade que de vez em quando partilho algumas das minhas refeições, não todas, mas algumas.
Assim, deixo aqui também algumas dicas de pratos leves ou bebidas frescas para os dias mais quentes!





1. lombo de salmão com quinoa, tomate e molho Tzatziki (molho com iogurte natural, pepino ralado, alho picado, limão e hortelã)

2. Tarte de espinafres e cogumelos com presunto e salada de melancia, queijo feta e manjericão.

3. Wrap barrado com queijo fresco e com espinafres, presunto e coentros com salada de tomate a acompanhar ou tomate cortado em quartos salpicado com coentros.

4. Sumo de ananás, cenoura, hortelã e gengibre. Com muito gelo! (diz que é bom para diminuir o inchaço e é delicioso!

5. Fruta! no verão a fruta é maravilhosa. é a minha estação preferida nas bancas dos mercados/supermercados.

6. batido de frutos vermelhos (congelados) e aveia, com granola e banana a acompanhar. (um óptimo pequeno almoço!)

7. Salada tropical: massa, camarão, rúcula, ananás, milho e ovo cozido. Molho de iogurte a acompanhar.

8. Água aromatizada de melancia e manjericão... fresquinha, tão boa para quem tem dificuldade em beber água apenas!!





Espero que gostem destas sugestões. adoraria saber as vossas!
Dias bons!








Sofia**







julho 10, 2017

ontem.






o dia em que acordámos e resolvemos sacudir o cansaço de um dia inteiro fora de casa e fomos para a praia. o dia em que o mar estava azul turquesa, cenário perfeito para uns toques com as raquetes. o record do Rodrigo com o pai foram oito toques seguidos, do Duarte comigo foram... um! mas felizes que estavam por aprenderem a jogar.
o dia em que ainda hesitámos se esquecíamos a despesa que fizemos no dia anterior e almoçávamos pela praia ou se nos armávamos em poupadinhos e comprávamos um frango e comíamos pipocas ou gelados no sofá ao som de um Harry Potter. ganhou a segunda hipótese. :) o dia em que os deixei ainda no sofá e fui fazer uma caminhada perto da Ria. soube tão bem.
o dia em que fomos despejar o lixo, depois de jantar, sem telefones, sem carteira, sem nada e o Rodrigo pediu muito para entrarmos no Alameda Beer Fest, só para ver, e saímos de lá à meia noite. eles brincaram com amigos que encontraram por acaso e, já noite dentro, ouvimos as primeiras músicas do grande José Cid. Abraçados os quatro, a rir e aos beijos, ouvimos boa música portuguesa e viemos para casa muito cansados mas de coração cheio!



Ontem, hoje e amanhã.... são os momentos que contam!







julho 06, 2017

o meu último vício na Tv...

numa fase em que as séries andam em banho maria, e em que já só espero que o inverno chegue em pleno verão (diz que é já dia 16... if you know what I mean!!), eis que há umas semanas num zapping acelerado, parámos na SIC Mulher. não em lembro bem o que nos fez ficar a ver, talvez o facto de se passar em Nova Iorque, as "personagens" serem cativantes ou as casas deslumbrantes... alguém sabe do que estou a falar?




Casas de luxo em Nova York, é um reality show que acompanha o dia a dia de três mediadores imobiliários na Big Apple. E como tudo o que se passa naquela cidade, também os negócios imobiliários são em grande! Quem acompanha pode confirmar o que vos conto, vender uma casa não é uma venda, é todo um espectáculo. Eles estudam o público alvo, mobilam a casa se for preciso de acordo com a personalidade que vêem na propriedade, fazem open houses que são festas temáticas de luxo e, se for preciso, contratam realizadores para filmes publicitários de apartamentos avaliados em 23 milhões de dólares... vale tudo para vender!
os valores são surreais! um T1 pode custar vários milhões, há penthouses maravilhosas que nos fazem sonhar, e as comissões destes medidadores, claro, são prémios do euromilhões! tudo nos leva a crer que realmente há muito dinheiro neste mundo. muito mesmo. a América em geral, e Nova Iorque em particular, é mesmo a terra dos sonhos, sem dúvida! (ok, sim, um bocadinho arrependida de há 12 anos não ter ficado por lá a viver e a... enriquecer!!)


como reality show que é, também acompanha a vida pessoal dos mediadores. agora que já vi vários episódios, uma temporada completa, percebo que o que se passa é real. claro que há situações mais puxadas, com algum show off, porque este é um programa de Tv, mas as quezílias entre eles, a competitividade extrema, a excentricidade dos clientes, as fortunas que existem, são mesmo reais. 
a vida destes três homens atraentes, na casa dos trinta, ou melhor quatro, se contarmos com o marido do Fredrik, é cheia de... vida! 
Fredrik é sueco, mas está há muitos anos nos EUA. É o mais velho dos três e com mais experiência no ramo imobiliário. Um pouco excêntrico, emotivo e engraçado, e está na luta por se tornar um ser humano melhor, agora que alcançou o topo da carreira.
Ryan é do Texas e, segundo o próprio, a cidade de NY e a profissão que exerce têm-no obrigado a tornar-se mais duro e competitivo, embora ele esteja atento a estas mudanças e com a ajuda da namorada tente ser melhor. 
E o Luís, porto riquenho que ainda adolescente disse aos pais que ia até à praia e embarcou para NY para lutar pelos seus sonhos. Fez várias coisas, começou nas limpezas, até chegar à melhor empresa do ramo imobiliário. é a personificação do sonho americano. super enérgico, cheio de garra e vontade de viver a vida. considera-se um Happyholic e luta diariamente por ser ainda mais feliz. sou fã dele!
sigo-os no instagram e percebo que são realmente amigos e que as vidas deles são assim, fantásticas! (claro, que como tudo no IG,  têm os seus filtros, mas são inspiradoras).



Não sei se conheciam este programa ou se há algum outro que gostassem de partilhar?


Espero que gostem!


Sofia**












junho 26, 2017

24 semanas





estou mesmo feliz porque há 24 semanas atrás tomei uma decisão.
estou mesmo feliz porque há 24 semanas atrás coloquei um plano em prática.
estou mesmo feliz porque ao longo de 24 semanas não perdi o foco.
estou mesmo feliz porque não me propus a correr uma maratona.
estou mesmo feliz porque comecei com pequenos passos e, aos poucos, alterei a minha rotina.
estou mesmo feliz porque ao longo de 24 semanas não deixei de aproveitar a vida, pelo contrário, vivo melhor.
estou mesmo feliz porque os resultados já são visíveis (longe da "minha perfeição") e, consequentemente, sinto-me melhor comigo.
estou mesmo feliz porque em vez de lamentar o tempo em que me esqueci e em que me acomodei, celebro estas 24 semanas de regresso a uma das coisas que mais gosto de fazer: cuidar de mim!

estou mesmo feliz porque tudo isto foi conseguido por mim, mas também pode ser por ti, basta começares!





Força!

Sofia**







Também podem gostar de ler este post.


















junho 19, 2017

A bipolaridade da mãe natureza...





neste fim de semana, enquanto a maior parte de nós se divertia e contemplava a beleza natural deste nosso lindo país, muitos viviam um verdadeiro inferno que chegou sem aviso.
a natureza tem este poder, o de nos deixar deslumbrados com a sua beleza, a sua grandiosidade e capacidade de se construir e, por outro lado, deixa-nos devastados quando a sua força ganha vida própria e causa tanta destruição.
é o maior incêndio e com maior número de vítimas de que há memória em Portugal. as imagens, do durante e do depois, são impressionantes, mas são imagens... só quem está no terreno sente verdadeiramente o que se passa.
muita força a todos os que vivem de perto esta tragédia. aos que perderam, aos que tentam salvar, aos que sobrevivem.
e que depois disto, os críticos se juntem para encontrar soluções para que incêndio algum volte a tomar estas proporções.







Bem hajam!

Sofia**






maio 25, 2017

livros - contos infantis

já tinha escrito por aqui que um dos nossos rituais à noite (nem sempre, mas muitas vezes) passa por lhes contar uma história. sinceramente, nem sempre resulta como método para os acalmar, porque eles inventam sempre qualquer coisa para adiarem a hora de dormir mas, em última instância, diverte-os, fá-los usar a imaginação, conhecem novas palavras e estão ali connosco, inteiros.





Todos os livros que apresento em cima têm histórias tradicionais, com ilustrações muito giras. 
O Príncipe Sapo, comprei no IKEA. A história é um pouco longa mas muito engraçada.
O meu preferido é o Contos Infantis (cinco minutos), e como o próprio nome indica cada história leva cerca de cinco minutos a contar e tem detalhes que servem para lhes testar a atenção. Ofereceram-lhes daqui
Era uma vez tem três histórias clássicas: Os três porquinhos, a Capuchinho Vermelho e a Caracolinhos Dourados, contadas de forma mais encurtada, perfeita para noites em que já passou a hora de dormir mas eles pedem muito muito um miminho! E o Espantalho Tomás, coitado, vive numa quinta a vida toda até que um dia os amigos o surpreendem e levam até à cidade. Uma aventura!
O Principezinho talvez seja a história mais reproduzida da história, passo a expressão, e sempre de maneiras diferentes. neste caso, é acompanhada de puzzles em cada página. acho que comprei este livro cedo demais ao Rodrigo, mas não lhe resisti na altura! (comprei aqui)



Espero que tenham gostado das sugestões.
Também vos pode interessar este post e este.







Sofia**









maio 18, 2017

ele.





ele liga-me sempre, todos os dias, depois de deixar o mais velho. conta-me como foi, se ficou bem, se ouviram a campainha, ou se chegaram e foi vê-lo correr para a sala. 
ele liga-me sempre, todos os dias, alguns minutos depois de nos termos despedido. deseja-me bom dia, diz que me ama, conta-me o que vê ou o que se lembra. ele ligou-me hoje para me contar como está bonita e vistosa a árvore roxa do Aboim, que graça dá àquela rua, àquela casa, cheia de meninos, cheia de sonhos. ele ligou-me porque viu algo bonito e lembrou-se de mim.
ele.
nós.
























livros - vamos falar de emoções?

às vezes aproveito algumas promoções para investir nos livros. foi o caso destes que comprei na altura da black friday na Bertrand, no ano passado, para lhes oferecer no Natal. em cada um escrevi uma dedicatória, alusiva ao tema do respectivo livro. escrevi na última página, não lhes mostrei. vou esperar que um dia, quando já souberem ler, a descubram e se surpreendam!


já lemos todos e eles gostaram bastante. 
o primeiro, A coisa que mais dói no mundo, fala da mentira e de como pode prejudicar os outros e a nós próprios. a história é engraçada (para os miúdos, principalmente), fá-los rir e entender a mensagem.
o Monstro das Cores é interessante sobretudo para a idade do Duarte (4) mas adapta-se perfeitamente aos mais velhos. para ele não foi novidade porque falou deste livro na escola. ajuda-os a identificar os sentimentos através das cores: a tristeza, a alegria, a raiva, o medo e a calma. e o mais giro é vê-lo a aplicar as cores às situações ("Mãe, estou vermelho, tenho raiva!, Estou azul (feliz) mãe!") - não há como resistir.
Adivinha quanto gosto de ti ofereci directamente ao Rodrigo. desde pequenino que lhe digo que gosto dele tanto assim, e quando chegou ao fim da história até lhe vieram as lágrimas aos olhos. parece simples mas transmite tanto. e as ilustrações são lindíssimas.
Zé zangado faz parte de uma colecção de três livros (se não me engano) que falam das emoções para meninos mais crescidos, em idade de leitura. identifica, neste caso, a zanga e como lidar com ela e dá também dicas aos pais para ajudar os filhos nesta coisa complicada que pode ser o sentir e não saber expressar. desta colecção, escrita por psicólogas, faz parte também a felicidade e o medo.


cá em casa falamos bastante (mas naturalmente) sobre as emoções e sentimentos e vejo com agrado que eles já conseguem transmiti-las verbalmente. por exemplo, às vezes, numa birra, depois de chorarem um bocado, pedem colo e mimo, ou então vêm pedir desculpa pela maneira como se portaram. noutras alturas, dizem obrigado ou relatam como estão felizes com determinada surpresa.
isto pressupõe que interiorizaram a situação, identificaram a forma como se estão a sentir e agem em conformidade. numa situação frustrante, choram e pedem mimo para se acalmarem. se se sentem felizes, reconhecem e agradecem o que os fez ficar assim.



estes são alguns dos livros que considero interessantes para de uma maneira divertida e com bonitas ilustrações falarmos de sentimentos com os nossos pequenos. independentemente das idades, é bom começar a construir uma inteligência emocional que lhes permita lidar da melhor forma com as mais diversas situações nas diferentes fases das suas vidas.




espero que tenham gostado. adorava saber se têm mais sugestões.







Sofia**





P.S.: esqueci-me de mencionar o Divertida-mente (o livro e o filme) outro bom exemplo!










maio 15, 2017

13.05.2017

meus amores,

provavelmente, vocês não se vão lembrar deste dia daqui a uns anos, quando forem mais velhos e começarem a perceber que há datas importantes e que devem ser recordadas. e por isso vou escrever-vos:

a 13 de Maio de 2017, Rodrigo tu estás prestes a fazer 7 anos e tu Duarte já tens 4 anos completos. neste dia, Portugal esteve num reboliço tal foram os acontecimentos memoráveis que marcam esta data. 
vocês não são batizados, nem sei se algum dia farão essa opção, mas mesmo assim, saibam que Fátima e a sua história marcam a história do vosso país, e neste dia aquele "senhor vestido de branco", o Papa Francisco, figura que devolveu a fé e o crédito na Igreja a muitos católicos, celebrou o 13 de Maio em Portugal, canonizou os pastorinhos e juntou milhares de crentes e não crentes na cidade onde um dia, contam, apareceu a Nossa Senhora. independentemente da vossa crença ou não neste acontecimento, é inegável o sentimento e a fé que se gera neste dia em particular, naquele Santuário, e no simbolismo que compõe esta história.

depois, ao final do dia, houve uma espécie de final de campeonato de futebol antecipada, em que o clube que orgulhosamente apoiam junto do vosso pai, ganhou pelo quarto ano consecutivo. vocês não se vão lembrar, mas estavam todos vestidos de vermelho e houve muita emoção ao assistir ao jogo, apesar dos muitos golos marcados pelo Benfica. e depois o Marquês, aquela praça enorme e linda em Lisboa que juntou milhares de pessoas, adeptos do clube encarnado, muitos talvez chegados de Fátima, todos a comemorar mais um título do clube que os emociona, que os move, que lhes transmite algo e os faz acreditar.

mas entretanto, em Kiev, Portugal participava no Eurofestival da Canção, e pela primeira vez era um dos grandes favoritos. a expectativa era grande mas acho que pouca gente acreditava que pudéssemos ganhar. sabem, faz um bocado parte de nós portugueses, não acreditar. o País talvez seja pequeno em tamanho mas enorme em qualidade. os países são o que as suas pessoas fizerem dele. e a prova é os grandes nomes que dão cartas pelo mundo inteiro no desporto, na literatura, na moda, na representação, na música... é preciso ter orgulho no que somos, no que fazemos.
e por falar em música, quero que conheçam o Salvador Sobral. sim, aquele "menino despenteado". um rapaz que seguiu os seus sonhos, trabalhou para os conquistar, não se deixou influenciar e construiu a sua identidade musical. por sorte, tem uma irmã também muito talentosa, a Luísa Sobral, que escreveu um poema lindo para uma música maravilhosa e achou por bem ser o irmão a interpretá-la. e não se enganou. 
e a 13 de Maio de 2017, depois de emocionados com a visita do Papa, a vibrar com a vitória do Benfica, fez-se silêncio no Marquês para ouvir o Salvador e rejubilar de alegria por ele trazer para Portugal o título único de vencedor do Eurofestival, com uma canção linda e cantada em português. pouca gente percebeu a letra da canção, porque pouca gente no mundo inteiro percebe português. mas a música é tão bonita e foi cantada com tanto sentimento e sensibilidade que o mundo inteiro rendeu-se.

foi um dia cheio de emoções. um dia importante para o nosso País, para todos nós, porque nos fez acreditar, valorizar, porque nos fez sentir e sonhar. e já dizia o poeta "o sonho comanda a vida!".
e o amor também, diria eu.




Amar pelos dois






























filhos meus:
acreditem sempre que os vossos sonhos são possíveis e nunca deixem que vos digam que não. façam tudo com muito amor, orgulho e dedicação e vão conseguir alcançar as estrelas!






com carinho,
mãe












maio 11, 2017

Quando lês um livro...

... e gostas mas admites que houve uma parte um pouco mais chata. quando depois vês o filme e percebes que a parte mais chata do filme é a que achaste igualmente chata no livro, e concluis que entre comer orar e amar escolhes, sem dúvidas...



... comer e amar!



o que é que isso diz sobre ti?! ;) :)














"porque a determinada altura temos que perguntar porquê."

porque é que o horário escolar é superior ao horário dos funcionários da função pública?

porque é que há cada vez mais crianças diagnosticadas com deficit de atenção ou hiperactividade?

porque é que as crianças trazem tantos trabalhos de casa? para que servem?

porque é que as escolas têm vindo a reduzir o tempo de intervalo (aka brincadeira) e a aumentar o tempo efectivo de aulas?

porque é que os programas são cada vez mais extensos?

porque é que existem cada vez mais crianças e jovens a queixar-se do sistema escolar, das matérias, dos professores...?

porquê...?



na última reunião na escola do Rodrigo, que recordo está a frequentar o 1º ano (1ª classe), a professora referiu que os miúdos andam cansados, que o programa é muito exigente e que está constantemente a mudar. disse ainda que a última turma que teve do 1º ano, há quatro anos atrás, tinha que aprender ao longo do ano lectivo até ao número 20, e que actualmente, o programa exige que aprendam até ao número 100 e que façam algoritmos e pequenos textos da sua autoria! 

e eu perguntei porquê? quem é que elabora os programas escolares? quem é que define o que é importante as nossas crianças aprenderem? quem está no comando tem noção prática do que se passa no terreno? no que é que se baseia o conteúdo programático?

o que recebi de volta foi um encolher de ombros. quase que senti, por parte da professora, um certo receio em falar não fosse ela dizer tudo o que devia (e não devia, talvez). e todos os outros 24 pais presentes na sala se mantiveram em silêncio. ninguém perguntou porquê, ninguém se juntou à minha indignação, todos se mantiveram calados, conformados. 

o mesmo já acontecia no infantário quando nas reuniões as educadoras se queixavam que não tinham tempo para fazer "coisas giras" com as nossas crianças, e que achavam um absurdo terem que seguir regras e um programa idêntico ao do ensino básico porque o Ministério da Educação assim o exigia. e também aqui ninguém perguntava porquê. (ou melhor, perguntava, eu!) havia um encolher de ombros e conformismo generalizado como se fosse tudo normal! o importante mesmo era discutir a qualidade ou a cor das t-shirts, o valor da prenda da festa de Natal ou as mil exigências para a festa de finalistas...

eu não acho normal! e hei-de perguntar porquê sempre que alguma coisa no que diz respeito à educação/formação dos meus filhos não me pareça adequada! 

eu não me importo que eles brinquem à chuva, que subam às árvores, que venham com os joelhos esfolados. eu não quero recreios forrados a borracha, quadros interactivos, tablets individuais, nem aulas de mandarim ou japonês.
eu quero um ensino apelativo e adequado, que fomente a curiosidade deles e que permita o florescer da sua criatividade.
quero que eles tenham tempo para brincar, para jogar, para estar em grupo, dentro ou fora da sala de aula e que tenham tempo para cultivar valores como solidariedade, amizade, cooperação.
quero uma escola com casas de banho em condições, com um pavilhão desportivo onde não chova, com uma ementa alimentar nutritiva que não os faça passar fome ou encherem-se de bolachas logo a seguir ao almoço. (mas também aqui pareço ser a única a preocupar-me...)
eu quero que a escola, o ensino, seja um lugar para onde os meus filhos vão felizes e entusiasmados, mas isso não acontece. e como ainda só estamos no 1º ano sinceramente tenho medo do que aí vem, mas esperança que muito em breve ocorram mudanças.
porque temos que ser muitos a perguntar PORQUÊ?! ou não?!






desculpem o looongo texto, mas este é um tema que me interessa, que me preocupa e que julgo interessa a muita gente... ou estou errada.


deixo-vos este link com uma entrevista ao Prof. Eduardo Sá que achei muito interessante.





e, por favor, não se conformem!


Sofia**